flash news

Oportunidades em Portugal durante a crise de pandemia

O novo coronavírus surgiu no final do ano passado e mudou a normalidade de todo o mundo. A China reagiu rapidamente e conseguiu controlar de forma exemplar o número de infetados para mínimos, embora o surto tenha tido início na cidade de Wuhan. Várias organizações internacionais como a OMS reconhecem o mérito da China no controlo da epidemia e na coragem na implementação de medidas restritas, necessárias à contenção do vírus mas com significativos impactos na economia do país.

Quanto ao ocidente, a epidemia chegou no início de março. Os EUA, Espanha e Itália são atualmente os países com maior número de pessoas infetadas e são vários os países que se viram obrigados a declarar o estado de emergência e adotar também a medida de lockdown nas suas cidades, enfatizando a importância de distanciamento social.

Infelizmente, ao mesmo tempo, a Rússia e a Arábia Saudita lançaram novamente uma guerra nos preços do petróleo, provocando uma perda súbita no mercado. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), controlado pela Arábia Saudita insiste em redução da produção para aumentar o preço. No entanto, a Rússia insiste que os países da OPEP devem cooperar para aumentarem a produção com objetivo de baixar o preço.

Ambas os eventos acima mencionados chocaram o mercado financeiro. Como resultado, o mercado de ações dos EUA sofreu graves quedas e os valores cairam abruptamente, ativando o dispositivo de circuit breaker quatro vezes em duas semanas. Os investidores perderam confiança no mercado e realizaram vendas indiscriminadas. O Fear & Greed Index caiu até para o nível de “medo extremo.

Mesmo sendo ano de eleições nos EUA, o Partido Democrático aceitou o pacote de estímulo de 2 triliões de dólares proposto pelo Partido Republicano.Dow Jones Industrial Average Média de seis meses – 01 de abril de 2020 (Fonte: Google)

Por outro lado, na Europa, os líderes dos 27 países da União Europeia realizaram várias reuniões por videoconferência e decidiram suspender a aplicação de regras estritas que condicionam o défice público dos seus Estados Membros, para que os mesmos possam usar o dinheiro público de forma mais flexível na luta contra a pandemia e recuperação das suas economias, estando ainda em discussão a possibilidade da emissão de títulos comuns europeus.

Vários países estão a adotar planos de resgate sem precedentes. No caso de Portugal, o governo adotou imediatamente uma série de medidas para proteger as empresas e garantir empregos. O ministro da Economia Pedro Siza Vieira refere que “criámos respostas muito específicas para situações impensáveis”, entre as quais se destacam:

Disponibilização de uma linha de crédito de 3 mil milhões;

Simplificação do sistema de lay-off, durante o qual o governo suporta a maior parte do salário dos trabalhadores, mas as empresas não os podem despedir;

Implementação de uma moratória pela qual os bancos suspendam o pagamento de créditos por seis meses;

Apoio aos trabalhadores independentes com atividade económica reduzida;

Adiamento da declaração e liquidação de determinados impostos;

Apoio financeiro aos trabalhadores que faltem ao trabalho por motivos de quarentena ou de assistência a filhos.

Portugal iniciou o programa de Golden Visa em 2012. Com apenas um investimento simples, os investidores estrangeiros e respetivas famílias podem ter acesso ao direito de residência, trabalho, acesso a saúde e escolas em Portugal e de livre circulação dentro da Zona Schengen. O governo português tem ativamente criado um bom ambiente de negócios ao que se alia o facto dos portugueses serem um povo simpático e muito aberto a estrangeiros.

Entre as opções de investimento disponível destaca-se o investimento em imobiliário (habitacional ou de comércio como shopping centers), financeiro (fundos de investimento ou de capital de risco), em instituições que desenvolvam atividades de investigação cientifica e tecnológica, em criação de postos de trabalho em qualquer sector, e ainda o investimento empresarial, em qualquer empresa do tecido empresarial português, desde vinhos, à aviação, tecnologia, agricultura, têxtil, atividades marítimas, de exportação e importação.

Devido à conjuntura e características únicas do país, os projetos de investimento em Portugal têm um potencial de rentabilidade muito positivo. Tudo isto leva a que Portugal seja popular entre os investidores estrangeiros, entre os quais se destacam os investidores chineses, brasileiros, russos, vietnamitas, coreanos e americanos.

A Caiado Guerreiro está na linha da frente no que respeita à assessoria ao investimento estrangeiro em Portugal. Com sede em Lisboa, Portugal, escritórios no Porto e Faro (Algarve) e representações em países lusófonos como Angola e Moçambique e também em Pequim, a Caiado Guerreiro faz a ponte entre as oportunidades existentes em Portugal e os Investidores internacionais que as procuram. Todos os nossos advogados são bilingues, e a nossa equipa chinesa, em particular, é altamente profissional e eficiente na resolução de problemas, tendo ajudado muitos investidores asiáticos a estabelecer negócios em Portugal com sucesso.

Se tem interesse em investir em Portugal, pretende ter conhecimento de oportunidades exclusivas ou precisa de esclarecer alguma questão sobre Portugal, entre em contato connosco.

O nosso wechat ID é caiadoguerreiroch, o Weibo é CaiadoGuerreiro_ 葡 萄 牙 律 所 e estamos igualmente disponíveis pelos nossos contactos de e-mail e telefone.

Mesmo com estas medidas de apoio, são várias as projeções económicas que adiantam que, após a crise epidemiológica, surgirá uma ainda maior crise económica, com um impacto superior à crise provocada pela Segunda Guerra Mundial que poderá afetar de forma dramática determinados sectores da atividade económica como o turismo, hotelaria, comércio a retalho e indústria por via da falta de matérias primas, procura e fluxo de capital.

Não obstante a visão negativa que existe sobre o futuro da economia, a História ensina que não há crise que não traga também oportunidades extraordinárias para quem está atento à dinâmica dos mercados e sabe adaptar-se às mudanças de forma rápida.

Nesse sentido, os investidores internacionais aguardam o timing certo para entrar nos mercados onde grandes oportunidades de investimento podem vir a surgir, como acontecerá certamente no mercado português. Os investidores estrangeiros estão a acompanhar o mercado prestes a intervir assim que o melhor momento para investir surja, tornando-se o white knight de algumas empresas em dificuldades, a fim de obter retornos consideráveis.

Em Portugal, esse investimento pode ser aliado à obtenção de direitos de residência e eventualmente de cidadania a medio prazo, o que facilita ainda mais a mobilidade do investidor na europa e o desenvolvimento das oportunidades de negócio.

O conteúdo desta informação não constitui aconselhamento jurídico e não deve ser invocado nesse sentido. Aconselhamento específico deve ser procurado sobre as circunstâncias concretas do caso. Se tiver alguma dúvida sobre uma questão de direito Português, não hesite em contactar-nos.

Autores
Área de Prática
partilhar
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
ÁREA DE PRÁTICA
PARTILHAR
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email
AuTORES

Contacto