ARTIGOS

Linha de Alta Velocidade Lisboa-Porto

Um projeto que ligará as duas cidades em 1h15 minutos e que tem um investimento previsto de cerca de 4500 milhões de Euros até 2030. A Fase 1 compreende o troço entre o Porto e Soure, com conclusão prevista em 2028.

A linha de Alta Velocidade entre Lisboa e o Porto será o maior investimento previsto no Programa Nacional de Investimentos 2030 (PNI 2030): 4.500 milhões de euros. A construção da nova ligação ferroviária vai ligar as duas cidades em cerca de uma 1h15 minutos, reduzindo substancialmente as 3h atuais.

Este projeto não beneficiará diretamente apenas estas duas cidades, mas também cidades localizadas entre Lisboa e Porto, nomeadamente Leiria, Coimbra, Aveiro e Gaia. Com efeito, este projeto permitirá, a título de exemplo, ligar Lisboa a Leiria em 40 minutos e Lisboa a Coimbra em menos de uma hora, encurtando significativamente os tempos de viagens para vários destinos do país.

Para além do mais, pretende-se, pelo presente projeto, oferecer serviços de transporte de passageiros nesta linha – e não apenas de mercadorias – em concorrência com a CP – Comboios de Portugal, aumentando assim a competitividade na prestação deste tipo de serviços. Neste sentido, para além da clara coesão territorial que resultará da criação desta linha de alta velocidade, a realizar-se este projeto, o aumento da competitividade melhorará, espera-se, a qualidade do serviço prestado aos seus utilizadores.

Vale a pena mencionar também que este considerável encurtamento de ligações entre cidades poderá, eventualmente – e dependendo dos valores praticados para o transporte de passageiros – reduzir a pressão do arrendamento nas maiores cidades portugueses, as quais apresentam elevados valores de renda, possibilitando deste modo aos cidadãos uma alternativa de habitação mais distante dos maiores centros citadinos, e, por conseguinte, mais económica.

Criar-se-á assim mais uma via de transporte coletivo que poderá a permanente e exponencial subida de preços do combustível e que – face à situação económica e geopolítica atual – não se sabe quando se normalizará.

Há também que considerar e louvar a contribuição à sustentabilidade ambiental que provirá da implementação deste projeto, nomeadamente no que concerne à tão necessária descarbonização do setor dos transportes. Num país em que o transporte tem muitas vezes de ser realizado por via rodoviária – atenta a falta de alternativas viáveis ou eficazes -, a implementação desta linha de alta velocidade poderá combater esta dependência e, bem assim, promover uma alternativa sustentável à poluição provocada pelo transporte rodoviário.

A construção desta nova linha ferroviária será faseada. A primeira terá lugar entre 2024 e 2028, conectando Soure ao Porto em cerca de 2 horas; a segunda ocorrerá entre 2026 e 2030, ficando o Porto e o Carregado a 1h19 de distância. Por fim, prevê-se que a terceira fase terminará apenas após 2030, permitindo viajar de comboio entre Lisboa e Porto em 1h15.

O conteúdo desta informação não constitui aconselhamento jurídico e não deve ser invocado nesse sentido. Aconselhamento específico deve ser procurado sobre as circunstâncias concretas do caso. Se tiver alguma dúvida sobre uma questão de direito Português, não hesite em contactar-nos.

autores
ÁREA DE PRÁTICA
PARTILHAR
ÁREA DE PRÁTICA
PARTILHAR
AUTORES

Contacto